Por dentro do canto!

Olá Pessoal!!

coro

 

Após um hiato de 5 meses sem postar nada aqui no blog, finalmente tenho um material interessante que vale a pena ser compartilhado.

Podemos dizer que a nossa voz é tão pessoal quanto como uma impressão digital. Possui características únicas e sutis que combinadas diferem umas das outras. A diferença de timbres, alcance, texturas e outros elementos podem ser ainda mais salientados com o estudo do repertório e estilo da técnica usada, contudo, existem outras características que não precisam ser tão sutis para serem percebidas. Basta somente escutarmos  para diferenciar uma voz de outra e se analisássemos somente vendo a prega vocal perceberíamos por certo as diferenças.

É o que acontece com o exemplo que mostrarei. Já vimos, por exemplo, o quão diferente é a voz de um tenor comparada com um baixo ou se compararmos a voz de um soprano de um contralto, mas como essas diferenças ocorrem?

Gostaria de compartilhar um vídeo que recebi de uma aluna essa semana. Ele mostra quatro cantores que executam um moteto* para quatro solistas, um soprano, um contralto, um tenor e um baixo. Até aí, tudo normal, se não fosse por um incrível detalhe da apresentação! É introduzida em todos eles uma pequena câmera de vídeo pelo nariz e levada até as pregas vocais. Esse procedimento chamado videolaringoscopia é usado normalmente para se analisar as pregas vocais e saber se há algo errado com elas. Aqui, no vídeo, o instrumento médico virou artístico e podemos perceber as diferenças de tamanho das pregas vocais de cada cantor e o como isso afeta a altura, timbre e textura na execução da música.

Um vídeo bastante simples, mas muito interessante para perceber como é belo nosso instrumento!

Para se entender melhor a ordem dos cantores no vídeo é: Soprano, Contralto, Tenor e Baixo.

*O moteto é um gênero musical polifônico surgido no século XIII onde, inicialmente, usavam-se textos distintos para cada voz. Dessa característica vem a origem do termo, derivado de mot, palavra, em francês. O moteto tornar-se-á uma das grandes formas da música polifônica, sendo que o apogeu de seu uso ocorre no contraponto modal do século XVI, apesar de sua importância para a música barroca e da recorrência a ele até por compositores românticos.

Agradeço a minha querida aluna Lia Costa por ter compartilhado esse material comigo! Obrigado Lia!!!

Aqui o vídeo!

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s